quarta-feira, 11 de março de 2009

O Labirinto da Solidão de Octávio Paz .

créditos pela imagem: lunita


O que é a solidão? Por que ela tanto nos incomoda? Por que tantas vezes nos sentimos tão sós em face ao mundo?
Talvez as seguintes palavras não tragam essas respostas, mas sejam, de certo modo, um trampolim para ajudar um pouco a compreender isso:

“A solidão, o sentir-se e saber-se só, desligado do mundo e alheio a si mesmo, separado de si, não é característica exclusiva do mexicano. Todos os homens, em algum momento da vida sentem-se sozinhos; e mais: todos os homens estão sós. Viver é nos separarmos do que fomos para nos adentrarmos no que vamos ser, futuro sempre estranho. A solidão é a profundeza última da condição humana. O homem é o único ser que sente só e o único que é busca de outro. Sua natureza – se é que podemos falar em natureza para nos referirmos ao homem, exatamente o ser que se inventou a si mesmo quando disse “não” à natureza – consiste num aspirar a se realizar em outro. O homem é nostalgia e busca de comunhão. Por isso, cada vez que sente a si mesmo, sente-se como carência do outro, como solidão”.

PAZ, Octávio. O labirinto da solidão e Post-scriptum; tradução de Eliane Zagury. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1984. p. 175.

Esta com certeza é apenas uma das passagens mais belas deste trabalho do escritor mexicano Octávio Paz. O Labirinto da Solidão foi escrito entre os anos de 1948 e 1949 e publicada em 1950. Seu principal fio condutor é uma reflexão a respeito da solidão do povo mexicano. O que ocorre, é que pelo menos segundo minha perspectiva, o livro ultrapassa o seu próprio objetivo. Revela-se uma impressionante reflexão do que é esse sentimento não apenas para o povo do México, mas também para o homem universal.

Discorrendo sobre as constantes imposições culturais, sua assimilação e a forma com que isto se manifesta na maneira do mexicano perceber o mundo, o escritor consegue estabelecer uma brilhante discussão de como a própria solidão representa uma lacuna entre o que se é e o que se almeja ser. O que se almeja ser, de certo modo, é reflexo das imposições sociais constituídas por aqueles que estão no poder, que ao levarem apenas em conta seus projetos mantenedores de sua influência, não levam em conta a forma com que os povos reconhecem a si próprios.

É assim, que observa o México. Primeiramente vendo suas raízes indígenas serem consumidas pela imposição cultural do colonialismo espanhol. Depois com as imposições de governos de caráter positivista / nacionalista que ao levar a cabo o progresso, não consideravam a realidade do país, tanto nos aspectos culturais, quanto econômicos e sociais. Em seguida, a própria revolução mexicana que se de início o autor caracteriza como uma tentativa de reencontro, acaba posteriormente não se efetivando capaz de fazer com que o mexicano se reconheça.

Nesse sentido o autor coloca que o mexicano é um ser que se encontra perdido. Utiliza-se então, como metáfora, a história do Fio de Ariadne. Ou seja, o mexicano está num labirinto, e espera que o fio o conduza novamente a suas origens. Enfim, é sentimento de solidão que anseia por uma saída que o liberte, que é ao mesmo tempo o lugar de onde emergiu.

Um dos capítulos que considero mais tocante é o que trata das “máscaras mexicanas”. O mexicano, para Paz, é um ser que sempre recorre ao mimetismo, que se camufla, que se esconde para que ninguém possa descobrir quem ele é e torná-lo vulnerável. Então lanço a questão: o que fazemos senão isso? Não estamos sempre presos num invólucro seguro, que nos permite esconder nosso pior lado e mostrar só o que é agradável para a sociedade? Não estamos sempre mantendo segredos a sete chaves que poderiam nos fazer parecer frágeis ou nos tornar mais fracos perante os outros? Não estamos, na maior parte do tempo, camuflados sob um falso eu, simplesmente para sermos aceitos?

Enfim, o que posso dizer é que é uma obra excelente. E com toda a certeza eu não seria capaz de abordá-la em todos os seus pontos brilhantes, que são tantos, numa simples postagem de blogue. Mas deixo aqui a dica para quem se interessar... Leiam se possível.

P.S.: Não curto ficar deixando links de download e essas coisas. Mas para quem se interessar e tiver dificuldades para encontrar o livro, digo que o tenho digitalizado. Tem algumas pequenas falhas, mas nada que impeça a leitura.
Entrem em contato e eu o repasso. Abraços!

Para conhecer um pouco mais:
  1. Alguns poemas de Octávio Paz
  2. Artigo interessante sobre o "Labirinto". Por Maria Alice Aguiar.

43 comentários:

  1. Este livro deve ser muito bom mesmo!!É tão dificil analisar sentimentos e um tão contraditório como a solidão!!Nem se fala!Porque muitas vezes nós a desejamos!Tem horas que apenas o que você quer é ficar sozinho no seu canto!!!Em paz!mas existe outro tipo de solidão como a citada por você que nos esconde do mundo e as vezes de nós mesmos!!
    Amei o post!!
    Bjus no core!!

    ResponderExcluir
  2. Acho que todos nós, em algum momento, procuramos o Fio de Ariadne.
    As origens dizem muito!
    Abs.

    ResponderExcluir
  3. Acho que sou mexicana!!!

    Adorei o textoO... A solidão fazia parte de mim ... Mas agora não faz mais... \0)

    ResponderExcluir
  4. Uia!!

    Fio... Ariadne... Labirinto... isso é tudo muito familiar para mim ;-))

    A obra deste autor é universal. Não aplica-se somente ao povo mexicano. E quando ele fala em máscaras, é a chave do texto.

    Todos nós nos mascaramos, agimos por conveniências. Mostrar a nossa verdadeira face pode nos custar um preço altíssimo. E admitamos, nem todos tem cacife para isso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse aultor, mas pelo que puder ver nesse trecho ele é ralemnte bom, e achei lega o modo como ele falou da solidão;

    beeeijo

    ResponderExcluir
  6. Não se entendi (eu vivo entendendo as coisas diferente de todo mundo), mas parece que solidão é algo maior do que sentir-se só, mas é também não sentir-se a si mesmo. Ter perdido a própria identidade. Parece que foi isso que aconteceu com o povo mexicano. No fim, nenhum de nós é o que realmente é. Temos todos que nos adaptar a regras de uma sociedade que já estava aqui quando nascemos, e sentimos uma tristeza enorme por termos perdido aquilo que realmente éramos e nos tornarmos o que queriam que fôssemos. Como se tivéssemos perdido uma pessoa importante. No fim é o que todos viramos, de diferente maneiras e graus. Todos uns solitários.

    ResponderExcluir
  7. Bem interessante... Nunca é de mais blogs desse tipo. Parabéns pelo seu.

    Abraço.


    Visite-me se não for muito incomodo.
    http://saulolopes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. sinceramente a solidão nao me incomoda, pelo contrário, ela é minha melhor amiga e companheira.

    http://opniaoinutil.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. aah, e a pior solidão que pode existir é aquela que se sente quando está no meio de muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de ler esse livro, passa o link!
    AH! solidão é um estar, ser sozinho são outros 500 mim!

    ResponderExcluir
  11. é, realmente a solidão é uma das maiores perturbações do homem cotemporâneo. é por isso q eu digo:Oh minha solidão querida,
    Já que restamos eu e você apenas,
    Diga-me o que faço para não enlouquecer,
    E traga-me de presente emoções pequenas.

    Solidão, companheira minha de toda hora,
    Caso resolvas ir embora,
    Se minh’alma já não estiver morta,
    Antes de abandonar-me
    Apague a luz e feche a porta.

    Leandra Vianna
    obrigada pela visita, volte sempre!
    www.universoeprosaliterario.blogpot.com

    ResponderExcluir
  12. VejaBlog
    Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
    http://www.vejablog.com.br

    Parabéns pelo seu Blog!!!

    Você está fazendo parte da maior e melhor
    seleção de Blogs/Sites do País!!!
    - Só Sites e Blogs Premiados -
    Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
    os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

    O seu link encontra-se no item: Blog

    http://www.vejablog.com.br/blog

    - Os links encontram-se rigorosamente
    em ordem alfabética -

    Pegue nosso selo em:
    http://www.vejablog.com.br/selo


    Um forte abraço,
    Dário Dutra

    http://www.vejablog.com.br
    ....................................................................

    ResponderExcluir
  13. Se os mexicanos são assim, somos um povo afim, parecidos na camuflagem, fugindo de alguma coisa e sem voz ativa. passivos.

    beijo*

    ResponderExcluir
  14. deve ser um otimo livro

    parabens pelo post

    ResponderExcluir
  15. Gostei , não apenas da indicação de um livro, mas tb pq vc comenta a respeito do mesmo, de seu autor e de passagens que explica um pouco do conteúdo que leu. Isso faz a diferença, nos dá vontade de ler , não quer dizer como concordância do que vc escreveu.
    Mas nisso eu já concordo com o autor , o ser humano ( independente de sua nacionalidade) vive escondido embaixo de suas cascas, como uma cebola. Realmente implica de não querermos parecer frágil, capazes de sermos atingidos. Eu sou um pouco assim, não deixo que as pessoas vejam o qt me perturbaram, prefiro fingir indiferença e sei que isso não é bom, mas fazer o quê?
    Gostei bastante do blog, viu?
    Ah, antes que me esqueça...nós estamos agradecidos pela sua visita e comentário no CGFILMES.
    Beijinhos!!
    Rozangela
    http://www.cgfilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Ops... como estava logada como Sagadosmartins, vi depois que ficou o outro blog, mas seu comentário foi no Cgfilmes , ok?
    Perdão o erro aí.
    Retificando...
    http://www.cgfilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Essa coisa de mudanças só pode ser coisas dos astros! rsrsrsrs
    Me interessei pela obra =D

    ResponderExcluir
  18. É A SOLIDÃO EM DEMASIA É INCOMODA MAS É NECESSARIA ACHO QUE UM RITMO FRENETICO DE UM CIRCULO SOCIAL MTO GRANDE ACABA CONDUZINDO A EUFORIA E O STRESS

    to roubando seu banner e add no meu blog em breve coloco ele como "blog da semana"

    ResponderExcluir
  19. nem preciso diser que achei o maximo.. hahahahh

    como amante de tudo que a sociedade chama de "móbido"... achei simplismente fantástico...
    pois é.. a solidão sempre nos traz a tono quem somos e não quem queremos ser... isso nos faz buscar desesperadamente um outro para mascarar mais uma vez... mas, mesmo nessas mecanismos meio que inconscientes de nós mesmos.. felizes são aqueles que, como diz o autor "estarem na profundeza mais profunda" (parafraseando com redundancia mesmo) da alma humana... e assim.. pelo menos. estar mais consciente sobre si mesmo...

    bah.. concerteza.. vou querer ler esse livro.. tens como mandar por e-mail?

    ótimo.. 100%

    ResponderExcluir
  20. Esse trecho do livro já vale a pena por 1 capítulo!! Muito bom, o autor disse tudo que quem sofre de solidão sente! Quero ler!!!! Vou procurá-lo! Obrigada pela maravilhosa dica1!!!

    ResponderExcluir
  21. Olá. Parabéns sobre o post. Mexicano ou não, a solidão é inerente ao homem. Sempre estamos fugindo, mas nunca conseguimos nos libertar.
    Você possui o livro digitalizado? Poderia me fornecer? Ficaria muito grata.
    Este é o meu email: cica@rocketmail.com
    obrigada
    abraços,
    Cecilia

    ResponderExcluir
  22. Só conheci esse blog agora. Ainda vou clicar alguns links, mas desde já parabenizo o autor pelas ideias e pelo conteúdo. Sou professora de Literatura e conheço Octavio Paz, mas não essa obra. Por favor, se puder me repassar o livro, estou à disposição no meu email: meirelit@hotmail.com
    Agradeço a atenção e aguardo contato!
    profa Meire Viana

    ResponderExcluir
  23. Se tem o livro digitalizado, por favor me envie, ian_garcez@hotmail.com fico muito agradecido cara.

    ResponderExcluir
  24. O mesmo! Por gentileza, me envie a digitalização, por favo,r suca.xavier@hotmail.com

    Enviei um e-mail a um tempo após ler o post, e fiquei surpresa pois no final vi que voce poderia enviar apesar dos apesares e eu preciso ler para fazer uma resenha pra ufrj, entao, por favor. me ajudaria muito!

    ResponderExcluir
  25. Assim como a felididade, a solidão também é um estado de espirito!!
    Abraços, Wander.
    http://coisasparaandarveresentir.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Pow, cara, sou estudante de comunicação social na universidade do Estado da Bahia. Se não for incômodo, me mandar este livro digitalizado seria um adiantamento às minhas pesquisas!

    Muito obrigado pela atenção. meu e-mail é: uianatanalecrim@gmail.com

    ResponderExcluir
  27. Você poderia passar o livro digitalizado para mim? Estou no ultimo ano do Ensino Medio e me interessei pelo livro. Obrigada
    patty.homsi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  28. Octavio Paz é maravilhoso!Li dele A dupla chama. Andei procurando na Livraria Cultura e os livros dele estão esgotados.Uma pena!Como faço para ter o livro digitalizado?
    Obrigada,
    Dalva Helena

    ResponderExcluir
  29. Olá! Você pode me passar o livro digitalizado? Agradeço! Um abraço, Geraldo

    ResponderExcluir
  30. Por favor estou precisando da obra, só encontro na rede a análise da obra, e não a digitalizada.
    meu e-mail é jr.lima@sercomtel.com.br

    ResponderExcluir
  31. Voce poderia me enviar o livro digitalizado: Meu email é amandatrainha@hotmail.com Obrigada.

    ResponderExcluir
  32. Você poderia me mandar o livro digitalizado? Email: mausoz@hotmail.com

    ResponderExcluir
  33. Ola ! Ótima análise! Será que vc poderia me enviar o livro digitalizado? Muito obrigada! renataelisie@gmail.com

    ResponderExcluir
  34. Olá, tbm gostaria de ter o livro digitalizado para dar sequencia a um trabalho. Meu email é giu.jornalismo@gmail.com

    ResponderExcluir
  35. Olá. Vi que vc podia disponibilizar o livro digitalizado. Preciso urgente para trabalho da faculdade.o labirinto da solidão. Espero que veja este pedido. Pode me ajudar? Meu email é s.arundhatiarquivos@gmail.com

    ResponderExcluir
  36. Olá. Vi que vc podia disponibilizar o livro digitalizado. Preciso urgente para trabalho da faculdade.o labirinto da solidão. Espero que veja este pedido. Pode me ajudar? Meu email é s.arundhatiarquivos@gmail.com

    ResponderExcluir
  37. alguém poderia ame disponibilizar o livro digitalizado ?

    ResponderExcluir
  38. alguém poderia ame disponibilizar o livro digitalizado ?

    ResponderExcluir
  39. Muito elucidativo seu post. Pode compartilhar o livro digitalizado?
    araujodaniel651@hotmail.com

    ResponderExcluir
  40. Muito elucidativo seu post. Pode compartilhar o livro digitalizado?
    araujodaniel651@hotmail.com

    ResponderExcluir
  41. Olá !!! Estou a procura do livro e não consigo encontrar.
    Por favor tem como você me passar a versão digitalizada?

    ResponderExcluir
  42. Estou precisando do livro, meu email é ninasoares822@gmail.com, alguém me disponibiliza por favor! desde já agradeço! parabéns pela reflexão

    ResponderExcluir