quarta-feira, 29 de julho de 2015

o sexto dia

Meu peito dói como se estivesse sendo escavado por saudade há meses.
Mas... faz só seis dias.

Sinto-me um pouco bobo. Pareço ser o único do mundo que fica assim. Que fica inundado pelo vazio de quem ama, que saiu por um tempo nem tão longo.

Queria acelerar o tempo, queimar as horas, dilacerar os minutos.

Fazer chegar o instante de seu retorno. Para abraça-la forte e sentir seu cheiro. E não deixar você ficar longe assim mais nenhuma vez.

domingo, 26 de julho de 2015

temporal

ah tempo
faz um favor
dispare sem eu ver
pra gente ser encontro

oh tempo
que voou recentemente
agora anda lento
e eu meio sem alento

ah tempo
seja vento
passe sem eu ver
pra ela não estar distante

oh tempo
fuja do relógio
exploda o calendário
pra ser agora nosso amor

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Carta.

            
                                                                                               Uberlândia, 22 de julho de 2015.

Querida G.

Devo começar dizendo: você se tornou meu grande amor.

Queria lhe agradecer pelos últimos dias. É tão bom se sentir tão próximo e não ter vontade de sumir. Geralmente é assim que acontece, quanto mais estou perto, sinto que quero me afastar, desaparecer por uns tempos. Com você não é assim e sinto sua falta no instante seguinte que não a vejo.

Às vezes, tenho dúvida do que vai ser. E acredito que isso é natural. Pensar que essa que é grande verdade da vida pro agora, pode um dia não mais ser. Todos nós temos um pouco desse tipo de medo. Contudo, devo dizer que são quase nulos considerando o grande carinho que tem habitado no meu peito.

Para além das incertezas, essa certeza de sentimento pr22/eenche grande parte dos vazios existentes em mim. Fico muito feliz e creio que isso tem feito algum bem para você, apesar de seus olhos caírem em tristeza em certas situações.

Eu gostaria de dizer que ao contrário do que pensa você não se torna chata para mim nem mesmo nessas circunstâncias. Porém, como te quero tão bem, fico a imaginar e a querer que sorrisos brotem do seu rosto de modo verdadeiro e que possa sentir alegria na vida! Só que isso teria que vir de uma raiz lá do seu coração, não bastaria vir em galhos que não emergem de seu íntimo, pois sabemos que isso não tem apelo real às pessoas que são feitas de emoções como nós.

Enquanto isso não pode ser, o que sinto é que a quero do jeito que é. Com seus tempos e ventos. Com lágrimas ou risos em dentes. Afinal, amor é pra sorrisos, mas é também para superação do que faz sofrer. Eu sei que você tem suas feridas e elas doem um bocado. Porém, se por um lado eu não seja capaz de exalar morfina para aplacar essa dor, por outro, posso estar ali para lembra-la de respirar até isso passar.

Tenho convicção de que não sou o que há de melhor e tenho dado o melhor de mim porque sinto que quando se sente algo tão forte por alguém não se pode deixar simplesmente passar. Você tem me dado mais força para que tenha vontade de superar algumas de minhas limitações que estavam travadas por processos do passado. Com você sinto mais firmeza para que tenha mais objetividade na vida e que eu possa sair de muitas de minhas inseguranças.

Você tem se tornado a cada dia mais especial para mim. Já falei isso em umas tantas situações... Você parece não ter dimensão disso. E quando em algumas vezes me diz que não tem nada a me oferecer, chego a ficar até pasmo. Afinal, só o fato de você existir e ter se tornado presente em minha vida, já tem sido uma grande maravilha.

Enfim... só queria expressar minha gratidão. E dizer que nos dias que virão próximos meu novo nome será Saudades.

Beijos ternos, desejosos e cheios de amor.

D.






domingo, 12 de julho de 2015

Sempre quis que quando eu chorasse, por ter errado em algum ponto, alguém simplesmente me olhasse, entendesse, e secasse meus olhos com ternura. Eu errei feio com você. Mas como fazem as pessoas realmente grandes, você não deixou que isso se consumisse em rancor.
Apenas olhou em mim e deixou tudo se transmutar em um amor ainda maior.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Giovana

É diferente amar e sentir que é de verdade.
Amar exige paciência e dedicação.
É moldar a cada instante lentes novas pra fazer ver o mundo melhor.
Amar é perdoar. É deixar pra trás o que não serve mais.
É fazer o carinho cada dia maior.
É poder ser quem você é.
É não se ver tão só no mundo.
Amar é entender a outra pessoa no tempo que tiver de ser.
E quando for o tempo de ser entendido também isso receber.

Amar para mim é ter encontrado a garota de olhos profundos e às vezes tristes
que não são vistos às vezes pelo seu sorriso ensolarado
É me sentir abraçando o universo quando estou com ela
É saber que ela vai me ouvir e me compreenderá
É crer que temos uma longa estrada a caminhar
Amar é entregar-me a ela camada por camada
É dispor-me das minhas defesas, de minhas amarras
É querer renovar-me e vencer meus medos e limites

Amar é ver o beija-flor que há muito tempo se queria ver
que veio pra anunciar duas vezes a felicidade que teremos
É compor notas e acordes novos para a vida
É sentir que caminharemos muitas vezes pela orla do mar
e que andaremos desfilando sonhos e esperanças por aí
Rir-nos de em tão pouco tempo nos imaginarmos daqui a 10 ou 20 anos juntos
e levarmos a sério que de repente isso pode mesmo ser.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

assisti-la

Precisava de ar.
Não lhe caía bem se sentir sufocada, engolida, apertada.
Mas queria um chão, um pouquinho de segurança.
Tremia às vezes por estar em meio às bagunças da superfície.
Queria mergulhar. Só que cada vez que mergulhava se perdia no fundo da piscina.
Nem fundo demais, nem no imediato demais - dizia.
Só que não encontrava o calibre certo.
Nem um bom lugar para ficar.