segunda-feira, 9 de março de 2009

Incertezas .


créditos pela imagem: Flávia Barbieri


Nada do que eu disser de mim vai ser real

Afinal, nunca se sabe o que se é ou já se foi...

E aquele que diz deter o maior conhecimento de si

Também é o detentor das maiores incertezas.


Neste mundo de mentiras

Onde os lúcidos são sobrepujados pelos tolos

Vagas não há!

Para o justo, o sincero e o que se preocupa...

Com o rumo para que as coisas andam...

Com o sangue derramado a todo instante...


Meu “sair de mim” é sentimento de estranheza

Como o andar solitário de um marciano que vaga em solo venusiano


É preciso encontrar algo com que possa me reconhecer

E estabelecer um elo mais forte que o das correntes de puro aço

Algo complicado, pois na constante deterioração de nosso mundo

Parece não haver mais muitas bases para o amor.


Uma rajada de ar chega bruscamente tentando adentrar uma garrafa qualquer.

Procurando enfim fazer parte de algo...

Mas o frasco não é capaz de suportar e rapidamente revela-se quebrável...

Sufoca-o, pois é incapaz de contê-lo em toda sua plenitude...


Logo tenta retornar ao espaço comum...

Pelo menos ali existia a sensação de alguma liberdade



Mas essa possibilidade de ir e vir quando quiser

Não tem muito sentido quando não se tem um lugar muito certo para ir...


Quando não há uma rota predefinida e se segue caminhando

Tornar-se perdido é questão de tempo...

Já que uma nau vagando em mares desconhecidos

Dificilmente encontrará suas Índias,

mesmo quando seu capitão é capaz de perceber que estas na verdade são Américas

(Do norte, centro e sul... A rosa dos ventos não tem o perfume que exala junto à brisa...).


É preciso então traçar um plano...

Mas planos são facilmente desarticulados pelo imprevisível

E nem mesmo os gurus que dizem tudo ver na obscuridade do que vai ser

Podem desanuviar o amanhã

e dizer que ele será de fato o que se viu numa bola de cristal.






Creative Commons License
Incertezas . by Diego? Glommer? is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at solucomental.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://solucomental.blogspot.com.

12 comentários:

  1. é nada online substitui uma amizade real, mas soma né? acho que é mais sempre! tem muita gente virtual legal e louca, em algumas doses, em posts de blogues.

    beijo*

    ResponderExcluir
  2. Uhh...

    Lendo este poema senti que ele retrata com fidelidade a nossa vida; o quão cheia de surpresas ela é. E que embora tenhamos controle de boa parte do que nos acontece, o imprevisível vive aparecendo e roubando a cena. Então, os planos de nada servem.

    Mas é bom fazê-los. Dá-nos uma ideia de que somos donos do nosso destino [ainda que esta ideia seja vã].

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tudo bem? Indiquei seu Blog a um selo bem bacana! O selo: “Vale A Pena Acompanhar Este Blog”. Passa no meu Blog pegar, não esqueça. Parabéns pelo Blog e muito Sucesso para você e para seu Blog!

    http://www.rockdepaixao.blogspot.com/

    Obrigado Pela Sua Atenção! Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Brisas ou redemoinhos... a vida vive em transpor os ideais e fazê-los latentes.

    Abçs meu caro,






    Novo Dogma:
    reiNo...


    dogMas...
    dos atos, fatos e mitos...

    http://do-gmas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Fiquei pensando nas rajadas de ar que já tomei nessa vida, e de quantas vezes o frasco se quebrou.

    Há uma série de ótimos versos neste poema. Na verdade, cada estrofe parece um pequeno poema

    ResponderExcluir
  6. aaaaaaaaaaaaaaaaaaah fã dos BSB!!!!! XD

    e eu amO o aerosmith, pink tem um dos clipes mais loucos eva!

    beijo*

    ResponderExcluir
  7. kkkkkkkkkkk você acabou de ser promovido, além de fã era COVER dos BSB!

    brincadeirinha tá?*

    ResponderExcluir
  8. ah mas me conta se foi a dança com a cadeira? era a melhoooor, uns 80% dos meus amigos já dançaram essa a pedido das meninas XD

    ResponderExcluir
  9. E falando nisso, eu acho até que estou meio confusa... Porque eu não acho que saiba exatamente o que fazer, já que alguns planos deram errado ou insistem em não acontecer...

    Amizades que se foram e agora parecem ressurgir das cinzas como se nada tivesse acontecido...

    E minha vida profissional que ainda não engajou...

    Coisas desse tipo... Coisas de outro tipo... Esse exterior que afeta o que somos... Ou faz de nós o que somos... Tem interferido tanto que não sei o caminho certo.

    Talvez eu saiba e não queira admitir que não será fácil, ainda que não seja impossível.

    http://espelhoinverso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. incerteza!!
    estamos rodeados de incertezas...
    para o amanhã.. a única certeza que tenho é mais incerteza...

    par alguns isso é algo abobinavel e que dá medos, do tipo, preciso estar sempre preparado para o futuro.. no entento isso sempre o torna "falsamente no controle de sua vida". porque se algo tem que acontecer, acontecerá sem ou com medidas de seguranças...

    prefiro aqueles que simplismente deixão as coisas rolarem, penso que a inserteza, em todos os angulos (na forma que vc colocou).. não é um convite ao medo, mas como se fosse um convite do cosmos para simplismente vivermos!!

    tah.. de mais esse poema

    curti muito

    ResponderExcluir
  11. não é facil sabe oq é mentira ou verdade nem na realidade... As pessoas mentem o tempo todo a todo hora em qualquer lugar... Não é facil sabe nem na realidade

    Bjokiss

    ResponderExcluir
  12. Olá Diego?Glommer? Aqui fico confusa (podes ser um ou outro, ou ambos)...rs, mas vamos ao que interessa: lindo poema carregado de questionamentos internos que fazemos o tempo todo quando atentamos para a escassez das certezas. Somos a encarnação do incerto: hoje aqui, amanhã...(inclusive, falo algo acerca disso numa homenagem póstuma que fiz a minha mãe dia desses).Apesar disso, "viver é preciso...", mesmo que as inconstantes da vida sejam como ondas revoltas tentando nos afastar daquilo que suspiramos alcançar. Aproveito o ensejo e agradeço a visita ao meu blog. Bjins e até mais!

    ResponderExcluir