sexta-feira, 10 de abril de 2009

Sobre Filmes e Narrativas .


Sempre fui um apaixonado por filmes com formas interessantes de narrativa. E um dos que mais me marcaram no que se refere a isso foi Irreversível.

Filme tocante em que os eventos são contados quase que ao reverso. Tudo começa com um dos personagens buscando por vingança. O motivo? Alguém estuprou e desfigurou sua namorada (Monica Belucci).

O momento do estupro (uma cena hiper-polêmica por dura cerca de 9 minutos) é uma espécie de ponto crucial do filme, porém nada termina (ou começa?) nessa cena. Pois, também são articuladas todas as ações que levaram ao incidente.

O final (que não vou contar para não estragar o prazer de quem quiser assistir) é belo e surpreendente e ao mesmo tempo angustia e sufoca quem o vê.

Além disso, podemos ver Monica Belucci que nos oferece um espetáculo para os olhos nos brindando com sua beleza e uma ótima e sensível atuação.

Considero Irreversível, juntamente com outros filmes que também usam abordagens desvinculadas de uma progressão linear do tempo, indispensável para alguém que se propõe a escrever de maneira séria. Romper com formas de espaço-tempo tidas como consolidadas e impassíveis de serem modificadas é algo que um escritor original deve tentar buscar. Afinal, já foi o tempo da construção literária marcada pelo “início, meio e fim”.

Como seres humanos somos sensíveis aos acontecimentos e em nossas mentes as experiências não estão colocadas necessariamente sob seqüências cronológicas. Deste modo a cronologia é apenas uma referência para contextualização e não uma camisa-de-força que prende toda a criatividade que uma narrativa pode ter.

Sei que é difícil romper com isso no que se refere à produção intelectual e artística, pois somos orientados a pensar assim desde a infância. E até mesmo para quem se propõe a fazer tal coisa é algo complicado. No cinema, por exemplo, filmes desse tipo acabam sendo jogados a um segundo plano atrás de outros com narrativas e linguagens, digamos, mais comerciais.

Porém, a verdadeira arte é inovação. Não se faz somente para agradar, nem para ser mais palatável ao gosto e senso comuns.

E mesmo que diminuto sempre têm público aberto a isso. Talvez para a grande maioria seja melhor assistir mais um blockbuster sangrento ou idiota e que não vai lhes acrescentar muita coisa. Mas também há muita gente que acredita que há algo mais interessante. Prefiro assim. xD




Fatos e Ressalvas:


- Neste feriado viajei para minha cidade: Araxá.

- Provavelmente só postarei a Velharia dessa semana no domingo à noite, pois estou sem pc lá.

- Escrevi o texto no intervalo para almoço que tenho no trabalho. Relevem se eu tiver escrito alguma besteira.

- Dias atrás um sem-teto me abordou na rua. Daí a gente começou a trocar uma idéia. Ele então me convidou para visitá-lo no prédio que mora, que por sua vez é uma construção abandonada. Tem coisas que só acontecem comigo. Rsrs.

- Eu ainda insisto em colocar o fone desligado na orelha. Pior: ontem o coloquei desconectado.

- Não sou cristão, mas desejo boa páscoa para todos.

11 comentários:

  1. Olá querido!

    Você está sempre trazendo coisas interessante para os seus leitores neste espaço, te admiro muito.

    O Soluço conseguiu ser ainda melhor que o Marmota, acredite!

    A cada nova postagem, percebo que ainda tenho muito a aprender e a conhecer. Que bom que parte disto esteja se tornando possível através de uma leitura de qualidade que faço no seu blog!

    Pois é, não assisti ao filme, mas fiquei babando com a sua sinopse, vou à procura dele.

    Kiso

    PS.: Vim aqui para lhe avisar que meu blog recebeu um mimo e o repasso para o Soluço Mental.

    ResponderExcluir
  2. Ah! Só para completar o comentáro:

    Você citou no final da postagem que há cisas que acontecem apenas contigo.

    Bom, acho que temos mais isto em comum, uahuhauha...

    ResponderExcluir
  3. CARA, convidado à um prédio abandonado! Só tu mesmo! E poatz, ouvi um veterano falando sobre esse mesmo filme no sofá do C.A. o.O, interessantíssimo me pareceu na hora que ouvi e agora mais ainda. hehe Boa Páscoa

    ResponderExcluir
  4. eu ja não gosto mto de filmes narrativos, mas todostem sua exceção as vezs vale a pena tentar assistir o começo e acabar indo até o final por ter gostado

    ResponderExcluir
  5. Diego, não assisti a esse filme ainda. Com certeza vou me lembrar dele na proxima visita a locodora.
    Realmente vc tocou num ponto crucial... Os filmes ditos comerciais é que são propagados e divulgados a exaustão. E muitos filmes com uma excelente história, mas que não carrega esse estígma hollywoodiano, acabam sendo relegados ao esquecimwento.

    Pra quem escreveu tudo na correria, nada a corrigir...
    Araxá. Terra boa e bonita!
    Vives no mundo da lua...rsrs Daí os fones desligados e desconectados...
    Quem sabe esse "trocar idéias", com um sem teto não seja uma viagem atravez de outros olhares?

    Uma grande beijo!
    Uma domingo de páscoa recheado de paz e chocalates!

    E muitos docinhos gostosos aí de Araxá!

    ResponderExcluir
  6. Heuheuheu, seu texto para o comentário lembra o de alguém (hahahaha!).

    Ei, eu nunca vi esse filme. Foi até bom vc ter falado porque eu faço Pós-graduação em cinema e sempre falam dele... E agora q estou tendo tempo para baixar filmes, acho q vou adicioná-lo no torrent...

    Eu quero assistir e ver essa cena crucial de 9 minutos. *_*

    Eu escrevi um treco novo no meu (é sééériooo!) e eu queria teu comentário a respeito... Sério mesmo.

    Cheeeiros.

    http://espelhoinverso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Se tem Monica Belucci no elenco, já é meio caminho andado pra ser um grande filme!
    Dos raros, é claro!
    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, parece ser fantástico esse que você citou!
    Eu também adoro filmes.

    ResponderExcluir
  9. Parece um filme interessante! Principalmente por falar do tema vingança. Monica Belucci então, já vale o preço da locação!

    Ouvi muito falar desse filme em seu lançamento, mas a mídia só falava da cena do estrupo e esqueceram de falar do filme, foi uma pena, pois acabei perdendo o interesse na época. É bom finalmente ver uma visão diferente e que realmente me desperte o interesse pelo filme!

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi de novo! Normalmente leio mais que comento, mas há alguns que não posso deixar de fazê-lo. Também gosto de filmes assim, valeu a dica. Concordo que é difícil muitas vezes assimilar essa não-linearidade,entretanto, o interessante de filmes e livros num estilo menos tradicional é que os tornam muito melhores. Ah! Gosto dos "adendos" que faz aos seus posts. Bjins e até!

    ResponderExcluir
  11. Ola,

    Gosto de filmes que, como o citado, não seguem uma cronologia considerada "natural" - começo, meio, fim-, por assim dizer.
    No então é complicado achar filmes com essas caracteristas, principalmente pq não sei como Nomeá-los!
    Por favor, existe algum modo expecífico de se referir a esse modelo de narrativa?

    agradecida

    ResponderExcluir